btnHelp



Países emergentes apontam tendência de corte de juros

Diante da perspectiva de desaceleração do crescimento econômico, inflação relativamente controlada e afrouxamento monetário do Federal Reserve dos EUA e Banco Central Europeu, o BNP Paribas está convencido de que autoridades monetárias de mercados emergentes vão continuar a reduzir os juros.

 

 
 

 

Pelo menos 10 bancos centrais devem cortar as taxas só neste mês, enquanto 15 devem tomar a medida até o fim do ano, segundo Marcelo Carvalho, chefe global de pesquisa para mercados emergentes e Luiz Eduardo Peixoto, economista para mercados emergentes do BNP. A informação é da agência Bloomberg.

Os analistas, com sede em Londres, projetam que, neste ano, a taxa básica de juros deve cair 375 pontos-base Turquia, 150 pontos-base no Egito e 100 pontos-base no Brasil.

Carvalho e Peixoto disseram que uma combinação de inflação historicamente baixa e perspectivas de desaceleração do crescimento provocou uma onda de cortes das taxas em mercados emergentes. A alta dos preços ao consumidor em mercados emergentes está próxima do ritmo mais fraco desde pelo menos 1990, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Nos últimos 10 anos, a inflação tem sido um fator de mais peso para a política monetária do que as flutuações cambiais, principalmente na Coreia do Sul, Brasil e Índia, onde as oscilações no mercado de câmbio tiveram um impacto limitado na alta dos preços ao consumidor, disseram os analistas. Há exceções, como na Turquia e na Argentina, onde a inflação se acelerou com a desvalorização da lira e do peso.

 

Vermelho, 11 de setembro de 2019